sexta-feira, março 21, 2008

FIM - Owari!

Hai Shimarimasu!
No Japão aprendi que enquanto não se sabe como fazer muito bem, não se faz. Porventura isto não servirá como uma desculpa para justificar o hiato deste blog: também aprendi que as desculpas, sinceras ou não, não servem para nada.
Hilariante: termina o hiato, e termina o blog. “Hai Shimarimasu!” é o aviso docilmente eficaz que as portas do metro vão fechar. As portas deste blogue fechar-se-ão com este texto, a carruagem continuará em movimento.

Não há nada que a cultura japonesa não tenha feito escrever. À parte a descrição das vivências gastronómicas em izakayas, madrugadas em Love Hotels, perfil psicológico de personagens, aulas de Japonês, narrativas urbanas, ou pequenas expedições solitárias, tenho consciência que neste espaço já disse sobre o Japão tudo o que tenho a oferecer à interpretação.

Mantenho-me numa liberdade condicional, preso fora do Japão. O fantasma do Tiagosan continua em Tóquio preso fora de mim. Quero voltar, quero escrever o epílogo que me negaram. Quero voltar, mas não quero ficar. Ainda não abandonei a virtude de abandonar.

Um casamento a pedido da conveniência, uma bolsa de aperfeiçoamento artístico, ou um acto de oxigenação de consciência por parte de um empregador, fazem de mim um molde de um carimbo burocrático. Em Julho haverá novidades. Até lá ronha o tempo como uma lesma. Se a novidade for um pesadelo, não será pesadelo. Apesar de quando lá estamos parecer, o mundo não é o Japão.


Lições de um choque cultural
1. Todos os dias aprendemos com todos. É sempre possível melhorar, porque a perfeição existe: perfeição é tentar atingir o seu lugar inatingível. Exigir dos outros o mesmo que exigimos de nós.

2. Pensar antes de fazer. A espontaneidade é a forma de aprender com os erros.
Ser-se preciso, até no vai-não-vai.

3. Não somos escravos das emoções, é o vice-versa. A disciplina de controlar o descontrolo. Paciência é saber aproveitar os instantes impacientes. Para um dia se ser, é-se hoje.

4. “Sou do tamanho do que vejo”. Necessário é esticar a percepção e abafar preconceitos. Abrir, ler, observar, mudar, apagar.

5. A diferença entre as pessoas serem ilhas ou serem gotas. Ocidentais escolhem o oriente como orientais escolhem o ocidente. Os rebeldes não se acomodam. Os rebeldes japoneses não se acomodam: saem, ou do país ou da vida.

6. Tagarelar quebra a respiração. Não respiramos, não existimos. Basta de achar que sabemos. Não sabemos, ouvimos! O objectivo é perceber que nunca saberemos.

7. A fachada racional de encobrir a ferrugem dos alicerces emocionais ou o desabafo desanuviante de entornar a gramática, ambos sofrem. A reverência da obediência ou a irreverência da desobediência, ambos sofrem.

8. A saudade, métrica do coração português, é suicida: mata-se a si própria. É uma ilusão passageira. É a psicose brumosa de que algo falta para vir. Até se ver que não vem.

9. O relativismo é protagonista no teatro da existência. As coisas não são, os sabores não são, os valores não são, a moral não é. Nada é, tudo nos parece.

10. Somos onde estamos. É nossa essência a adaptação.
O erro de achar que a felicidade está do outro lado: o lado onde estamos é sempre o nosso lado.

11. O Japão alumiou o acidente que sou. Arigatou Nippon.


O Efeito
Foi no Japão que vi o sol nascer. Consegui a independência económica, a única que ainda há para a ver. Transformei-me num samuraizinho tenrinho como sashimi, tornei-me o gajo que viveu dois anos no Japão, entranhei-me na overdose de japonesismo.

Num bonsai vê-se o Japão: o bonsai é uma planta que não lhe permitem ser árvore; não cresce; deforma até que se conforma; suporta viver a gotas de humanidade; é uma harmonia sádica de encanto.
Não fui educado como um bonsai. Cresci silvestre, no meio dos mal-me-queres do meu país. Mas agora o bonsai não sai de mim. Perde-se a voz, esteriliza-se as emoções.

O Japão é um mergulho.

Exercício de salve-se quem puder psicológico, vive-se uma compressão humana incompreensível, percorremos em casulos parados no trânsito uma neblina de identidades, que resiste a questionar; os corpos não tocam, os sentimentos não chocam, o olhar evade-se para evitar que se perceba que mente. É um haraquiri mental constante, vivido na efemeridade da transição, preenchido de solidão.
Estranho os porquês de necessitar regressar. Persegue-me o antes e depois. Tudo mudou. Sinto o Efeito Nipónico.

FIM (Owari!)

29 Comments:

Blogger isa disse...

Meu filho
Porque conheço o percurso e nele te descubro a ti ,meu acidente alumiado pelo Sol Nascente, quero dizer-te que hoje me surpreendeste.
Dissecar emoçoes duma forma tao clara em prosa poética é um dom.
Abençoasdo sejas!
Um beijo
Mãe

Nasceu uma nova planta :um Bonsai Silvestre!

21/3/08 5:45 da manhã  
Blogger SaN0 disse...

tenho pena que este blog vá encerrar. Virtualmente acompanhei a tua aventura no japão, lendo as descrições poético-filosóficas que escreveste ao longo deste período de tempo.
Sinto que conheço o japonês que há em.. talvez porque dentro de mim vive outro... o rodrigo-san :)

21/3/08 7:42 da manhã  
Anonymous Marisa disse...

Fantástico final. Fica aquela nostalgia de sentir que não vou voltar a ler novidades no "tiagointokyo", mas... aprendi tanto!

Gostei especialmente destes "10 mandamentos"!
Sabes escrever mesmo bem, Tiago... Omedetou gozaimasu ^^

e... arigatou :)

21/3/08 10:47 da manhã  
Blogger ana disse...

Vou sentir saudades das tuas palavras e do conforto e nostalgia que me proporcionavam ao ver o Japão através dos teus olhos.


Beijinhos.

21/3/08 8:00 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

O fim do TiagoinTokyo não será mais do que o início de um TiagointheWorld...

Pelo menos agora tenho-te cá uns tempos para lá ires jantar a casa!!!
E depois posso dizer aos meus amigos: "-Ontem foi lá jantar o meu primo... aquele que esteve dois anos no Japão..."

... ;) ...

Ricky

22/3/08 4:23 da manhã  
Blogger Luis disse...

Assim se fecha a minha janela para o japao.
ate sempre e boa sorte

22/3/08 11:53 da manhã  
Anonymous Tiago disse...

Quando uma janela fecha, abre-se outra imediatamente a seguir...

Acompanhei o teu blog e devo dizer que me fizeste ver o Japão de uma maneira diferente...não sei explicar.

Espero também eu um dia poder trabalhar ai...sou um homem do mundo, não quero passar cá o resto da minha vida.

Felicidades Tiago!

24/3/08 5:22 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

É com tristeza que vejo este blog terminar. Vou ter saudades destas pequenas viagens virtuais ao país que mais desejo conhecer, proporcionadas por estas palavras que maravilhosamente conjugas e pelas imagens que captaste...

Arigatou e mts felicides!

Sílvia

25/3/08 5:58 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Bravo!

Fi

28/3/08 1:09 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Bravo!

Fi

28/3/08 1:09 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

� t�o profundo o relato do teu ep�logo oriental que quase me inibe de passar para as teclas as emo�es que me provocas.
Precisava do espa�o e da tranquilidade que n�o me rodeiam nesta etapa da Vida para ser capaz de " deixar o meu coment�rio " tal qual me brota da leitura das tuas " li�es de um choque cultural ".
Sei s� que, corridos que v�o quase 2 anos, do abra�o que troc�mos no aeroporto de Lisboa, me surpreendes com esta capacidade ainda mais enorme de relatar t�o perfeitamente as tuas percep�es, como se eu conseguisse ler atrav�s dos teus olhos as sensa�es que apenas tu viveste.
Levaste-me at� um Pa�s desconhecido e que gravo no meu gps imagin�rio de tal modo que passei a saber de gueixas encomendadas pelo destino, de p�ssaros negros � solta, de cerim�nias de celebra�o dos entes que partem sem regresso, das passadeiras cruzadas apinhadas sem sobressalto, dos morr�es dos cigarros arrumados, dos love hotels para troca de prazeres, das cerejeiras que bordejam o asfalto, dos paradoxos dos sem-abrigos com dignidade, das gravatas que te garrotaram a postura, dos samurais que n�o permitiram que deles fizessem bonsais, das saias curtas afunilando cios, dos paradoxos de fuga que as ilhas provocam nos ind�genas, dos kamikazes ingenuamente cintados de avi�es explosivos, das sobetsukai sem abra�os e com sorrisos, das v�nias cerimoniosas nos bons-dias, dos casulos para pernoitar a low-coast, do n�on comercial baralhando as pupilas, do Outono que pintalga o colorido da imagina�o, do kaizen paradoxalmente contradit�rio construindo a perfei�o, dos yokozunas que engordam a carteira proporcionalmente � engorda das adiposidades, da sabedoria dos prov�rbios singelos, de tanta e tanta hist�ria, sei l�.
Levaste-me pelo esculpir das tuas palavras a um Pa�s desconhecido que deixou de ter encanto porque nada encontraria que n�o tivesses, por osmose, integrado o meu adn geogr�fico.
O owari de um blog em que destapaste o teu talento, partilhando-o em pra�a p�blica, n�o passa de um passo para o in�cio de outro teu owari.
Se pudesse amarrar as asas que te impelem a voos irresist�veis, haveria de dizer que gostava de conhecer o meu Pa�s pelos olhos das tuas sensa�es esfiapando-se pelas pontas dos teus dedos no teclado de um port�til qualquer.
Certo estou que descobriria finalmente os encantos que inexoravelmente me alapam por aqui.
Voar�s, tenho a certeza, no horizonte teleol�gico dos teus sonhos como tiago capelo gaivota.

Um abra�o do Pai
Coimbra, 26 de Mar�o de 2008

28/3/08 9:04 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Vezes sem conta me emocionei quando te visitava no teu blog. Muitas vezes tive vontade de te dizer como me sentia feliz por descobrir mais e mais de ti, nesse teu geito de tão bem transmitir o que sentes, mas contive-me...Hoje não resisto. Parabens Tiago e que a vida permita que possas SER COMO ÈS. Um beijo do tamanho do Mundo.Tia Miza.

31/3/08 9:11 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Vezes sem conta me emocionei quando te visitava no teu blog. Muitas vezes tive vontade de te dizer como me sentia feliz por descobrir mais e mais de ti, nesse teu geito de tão bem transmitir o que sentes, mas contive-me...Hoje não resisto. Parabens Tiago e que a vida permita que possas SER COMO ÈS. Um beijo do tamanho do Mundo.Tia Miza.

31/3/08 9:11 da tarde  
Blogger Luna Tic disse...

Boa sorte no resto do mundo!

7/4/08 6:01 da tarde  
Blogger catiazzz disse...

O mundo gira... e nós giramos com ele.
Neste movimento constante (celeste, geográfico ou emocional), gostava continuar a encontrar-te.

Como? - pergunto eu.

Um abraço,

Cátia
(catia.rabaca@networkcontacto.com)

13/4/08 6:53 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Que pena!!

É o fim de uma rotina. Abrir os Favoritos e olhar para o oriente como se lá estivesse.

Parabéns! Pelo blog, pela escrita e pela experiência que te invejo!

Que tenha sido o trampolim para outros vôos, ainda maiores e ainda melhores.

Um abraço das margens do Liz.

Primo Pedro

21/4/08 7:11 da manhã  
Anonymous Tio ZÉ disse...

É pena que continues preso fora do Japão. É pena que o Japão não abra as portas a quem deu a conhecer os hábitos, usos e costumes de uma civilização envolta nas brumas e nos mistérios de gueixas e samurais. É pena que o Japão não se permita um grito de apelo capaz de cicatrizar evenuais sequelas no português - conquistador -do -sol-nascente: " volta Tiago e sê feliz "

21/4/08 7:37 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Há anos que não sei nada de ti e, sem querer, tropecei no teu blog.
Fiquei surpreendida pela positiva, não sabia que escrevias tão bem e gostei do discurso descontraído com que descreves a sensação de ser um ociental no oriente.
Desejo-te muitas felicidades e boas aventuras.

R.

30/5/08 12:01 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Parabéns pelo blog.
Essa nostalgia do que ficou para trás e de querer voltar um dia...é assim que se fica depois de conhecer e viver no Japão ou em qualquer outro país.
Parte de nós ficou lá e parte dessa terra está todos os dias connosco.
Já não sabemos muito bem onde pertencemos e vivemos o resto da vida com essa mistura de culturas.
Desejo-te felicidades sinceras.
Teresa

2/6/08 11:31 da tarde  
Blogger Vanessa Rodrigues disse...

Espero que te reencontres em cada viagem. A reinvenção é o melhor mergulho; o melhor voo para respirar!Já o sabes!

15/6/08 10:30 da manhã  
Blogger carla disse...

Que pena que este blog tenha chegado ao fim. Tal como muitas pessoas que por aqui passaram, adorei ler tudo o que escrevias! Escreves muito bem, dá mesmo prazer em ler! Devias pensar na possibilidade de fazer um livro com tudo o que aqui escreveste e com as fotos que tiraste. Há muita gente como eu que gosta do Japão, muitas delas se calhar não têm o conhecimento desde blog. Este teu blog é mesmo muito rico em informação, é maravilhoso!

Desejo-te muitas felicidades!

Carla.

22/6/08 6:37 da tarde  
Blogger T.C disse...

Bolas encontrei este blog mesmo no Owari!

Hey Tiago gostei bastante do teu blog mostras-te mesmo que há grandes diferenças entre a nossa cultura e a dos japoneses.
Depois da tua aventura fiquei ainda mais ansioso por conhecer Japão, sempre achei um país fascinante e espero um dia visitar.

Encontrei hoje o teu blog e perdi umas 3 a 4 horas a lê-lo todo e foram horas bem gastas.

Eu até ando a fazer um dicionário japa já há algum tempo e com as tuas vivências, dicas do país do sol nascente vou aumentá-lo :D

Abraço do Tiago-San para Tiago-San (sim porque também sou tiago :P)

jaa ne !

23/7/08 6:22 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Olá!

Tenho pena de ter apanhado o teu blog no Owari, ele é uma lufada de ar freco. Ainda não não o consegui ler do inicio ao fim, por isso passo por cá muitas vezes.
Parabéns também pelo "Efeito Nipónico", é lindissimo.

Espero que avises quando avançares para outro blog.

Rita Bessa

4/8/08 6:07 da tarde  
Blogger Otávio disse...

Tiago ainda pretende voltar ao japao?curti mto akele ap da kudanshita to pensando em mudar pra la em fevereiro/09 c tiver disponivel,nao quer dividir?aehuae preciso sharer kono apaato

26/8/08 1:35 da manhã  
Blogger sayuri disse...

Foste abençoado por poderes entrar nesta aventura e tirares os bons e maus ensinamentos dela.
Ao ler os teus relatos, muitas vezes desejei ir até ao Japão conhecer essa outra dimensão das coisas com que tanto me identifico.

Felicidades

29/11/08 2:59 da manhã  
Anonymous Tiago disse...

Fantástico!!!
Nete blogue estão, sem dúvida alguma, algumas das mais belas e poéticas linhas que já li na minha vida!
O seu mergulho de cabeça nos fez imergir junto com você nesta aventura pelo outro lado do mundo.
Pena que não o acompanhei desde o início e que eu não tenha muitos conhecimentos no Português Europeu, que, não raras vezes, difere bastante semanticamente do brasileiro. Mesmo assim, pude apreciar seus belos escritos, com os olhos ocidentais que Deus me deu.

Enorme abraço, e lhe desejo todo o sucesso possível, cidadão do mundo!

ja ne :)

28/1/09 11:33 da tarde  
Blogger ss disse...

Ao que parece cheguei tarde para seguir esta aventura. Ficarei à espera de uma nova. Não deixarei no entanto de ler a que já foi vivida.

ss

4/5/09 11:26 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Amigo
anos passados regressei a este teu nosso espaço...
A aventura nas holandas terminou faz 4 anos... a outra, das nossas vidas vai se renovando em fins e inicios, ora destruindo...ora criando.
Aquele grd abraço

J.

21/6/10 10:44 da tarde  
Blogger The Last Fever disse...

Gostei imenso do teu blog. o meu destino de sonho é e sempre será o japão.
Pelos vistos vais encerrar o blog...tenho pena de só o ter descoberto agora. Boa sorte!

26/9/10 4:38 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home